quarta-feira, dezembro 30, 2009

O que aprendi em 2009


Peço aos meus 3 ou 4 eventuais leitores que me perdoem, mas não vou falar sobre o Suriname ( agora, todo mundo sabe onde fica) e nem sobre o “apagão” do blogger em algumas regiões do Brasil que dependem da péssima e horrorosa “prestadora” de serviços OI/ VELOX. ( novamente peço desculpas por não ter visitado alguns blogs preferidos neste período)

Hoje a postagem terá um tom confessional, quase de auto-ajuda. E como essa é a última postagem do maldito ano de 2009, é assim que deve ser. Vai ficar piegas, portanto, se não quiser continuar, visite os links aí no menu à direita.

O que aprendi em 2009

- O trabalho enobrece, e o trabalho em excesso enlouquece. Pense nisso antes de considerar apenas o aspecto financeiro.

- Encontrou alguém que o ama? Não seja idiota e acomodado e trate de cuidar, regar este amor, sempre.

- Ciúme e sentimento de posse destroem qualquer possibilidade de relacionamento feliz e equilibrado.

- Controlar o temperamento faz muito bem à saúde. De ambos.

- É ótimo ter amigos. Mas é bom descobrir, de fato, se poderá contar com esses “amigos” nos momentos em que você mais precisar de apoio ou apenas de um ouvido. Aliás, é bom descobrir também o que é o conceito de "amizade" para alguns.

- Nunca, nunca se anular como indivíduo. Jamais!

- Dizer “não” às vezes faz bem. E saber como aceitá-lo faz muito bem.

- Um passo atrás não significa exatamente uma regressão na carreira ou vida pessoal: pode representar o maior passo dado até então.

- A frustração machuca e é ruim. Mas é necessária para reconstruir.

- Tem talentos? Mostre-os para o mundo, mesmo que você seja tímido.

- O que passou, use como aprendizado. É hora de olhar para o presente e planejar o futuro.

Ficou piegas, ficou um texto típico de manuais de auto-ajuda, é verdade. Mas poderá ser útil para alguém que cair de pára-quedas por aqui; poderá ser útil para alguém que precise repensar algumas coisas em sua vida. O que está escrito aí me foi útil. Escrever frases tão simplistas não foi tão fácil como parece: foi o aprendizado de um longo ano, um ano que deixou marcas terríveis – claro, houve coisas boas, também - mas que servirão para a (re) construção de uma pessoa muito melhor, pois não sei como será o ano de 2010, mas certamente já sei o que NÃO fazer neste ano que se inicia.

A mudança e a (re) construção acontece em qualquer dia do ano, mas como há um simbolismo todo especial na chamada “virada de ano”, desejo a todos os amigos ( um carinho especial para meus amigos mafiosos), leitores, desafetos e visitantes do grooeland um FELIZ 2010, com muita saúde!

Follow me on twitter http://www.twitter.com/jaimeguimaraess

quarta-feira, dezembro 23, 2009

Feliz Natal! ( à maneira do...Serjão)


- Incrível! O Serjão fez as malas e foi viajar neste fim de ano!
- Não acredito! Ele ligou pra você?
- O Serjão, telefonar pra alguém que não seja do sexo feminino? Até parece! Eu passei lá no prédio e o zelador disse que ele deixou uma carta pra mim.
- Uma carta? Ué...tô estranhando.
- Eu também. Bom, ele deixou um bilhete, dizendo o seguinte: “Leia no boteco, por favor”. Então, vamos ler, né?
- Pô, começa, tô curioso.

Meus queridos amigos, então é Natal e...Natal? Natal? Ora, deixem de bobagem! Não me digam que vocês ainda caem nesse apelo consumista, nessa historinha de “espírito de confraternização e paz”. Digo e repito: é pura bobagem, tudo muito bem armado para que vocês, manteigas derretidas, gastem seu suado décimo terceiro salário com presentinhos e lembrancinhas bobas. E em Janeiro estarão todos aí, endividados com IPVA, IPTU, matrícula, material escolar e outras taxas, que chegam todas de uma vez só!

E vocês ainda se dizem cristãos! Eu, que não piso na igreja desde o meu casamento ( tudo bem que eu fui amordaçado e dopado e quando vi estava no altar), sou mais cristão ou religioso do que vocês, seus materialistas vazios! Sigo quase todos os dez mandamentos, menos aquele que diz “não cobiçar a mulher do próximo”. Se a mulher do próximo me dá mole, o que eu posso fazer? Não vou arrancar meus olhos, certo? Bom, pra começo de conversa, o que Jesus - que pra mim sempre foi um grande agitador político-cultural-social, nada de divino, curador, milagreiro, nada disso - tentou ensinar e os cristãos não conseguem colocar em prática? Uma coisa simples como “amar ao próximo”. É bonito, mas desde que o próximo não esteja "tão próximo" assim e te deixe em paz, afinal o cristianismo só é levado a sério nessa época do ano, certo? Por isso os cartões virtuais são ótimos, pode-se mandar mensagens amorosas sem encher o saco e nem aparecer de surpresa na casa para filar a ceia!

Aliás, a ceia natalina seria até bacana, se não recebêssemos em nossas casas o cunhado chato, a sobrinhada pentelha, aquela prima metida à grã-fina que repara em toda a decoração. É, eu sei, lá em casa tá assim, tudo decorado, mas isso só acontece por iniciativa da patroa. Por mim, não movia um músculo, nem um pisca-pisca montaria! E as crianças, coitadas...a mulher diz que elas querem viver a “magia do natal”. Que magia que nada, elas querem é o presente do natal, isso sim! E lá vai o trouxa aqui se espremendo nos corredores de shopping procurando brinquedinho barato, suportando aquelas musiquinhas chatas, principalmente “Natal das crianças” tirada no cavaquinho!

Como ninguém merece esses shoppings e tampouco os preços praticados por lá, o jeito foi cair no comércio popular. Lá também tem “Natal das crianças” no cavaquinho, mas ao menos os preços são ótimos. O meu filho mais velho quer um tal de Playstation 2 e eu nem sei o que é isso, só sei que é a maior grana. Fui lá no camelô e comprei por um precinho camarada um videogame bem parecido, o Play Zation. Eu não entendo dessas coisas, mas o chinesinho me disse que o aparelho era galantido, né?

O que? Vocês acham que me rendi ao consumismo e tô bancando o Papai Noel? Ah, vão pra...deixa pra lá. Hoje não vou dizer um palavrão, prometo! Mas quero que o Papai Noel se...deixa pra lá, eu tô me controlando. Vocês sabem que essa atual figura bizarra aí do “bom velhinho” em nada lembra o São Nicolau, né? Esse que fica aí num casacão vermelho num calor de 30 graus foi vendido para o resto do mundo a partir de uma campanha publicitária de certa marca de refrigerantes e aí pegou, digo, colou, sacaram? A única ideia boa do Natal foi a substituição daqueles duendes ridículos por deliciosas ajudantes do Papai Noel! Parabéns a quem pensou nisso, ideia fantástica!

Como não posso remar contra a maré, não teve jeito: fui viajar para a casa da sogra. O que a gente não faz para manter um casamento, não é? Passar o natal na casa da sogra com um monte de cunhado mala é dose, tem que ter muito “espírito” mesmo! Então ao invés de deixar um cartão pros amigos, deixei essa carta para que vocês leiam aí no boteco. Além do mais, quero que esta epístola seja publicada lá naquele blog mequetrefe, o tal de Grooeland, já que o autor disse aqui mesmo nessa mesa, enquanto tomava uma limonada ( todo mané!),que estava pouco inspirado para escrever algo na época do Natal. Duvido que ele publique, pois é medroso e não concorda com algumas de minhas ideias, e certamente seus leitores também não concordariam.

Deixei aí umas 10 cervejas pagas para vocês. É minha forma de desejar um Feliz Natal! Até a volta, só depois do Reveillon!

um abraço do Serjão!

- Maluco até o fim, grande Serjão! Ei, será que o Jaime vai publicar o texto no blog?
- Sei lá. Duvido, também. Se publicar, pode ter certeza de que ele vai fazer a ressalva: as ideias contidas na carta são de inteira responsabilidade do autor da mesma, não cabendo ao dono do blog reponder por isso. Mas o negócio é aproveitar o presente que o Serjão deixou!
- Um brinde ao Serjão! Um brinde ao Grooeland e aos seus leitores!
- E um Feliz Natal a todos, porra!
- Você tinha que estragar tudo com um palavrão...!

Follow me on twitter: www.twitter.com/jaimeguimaraess

terça-feira, dezembro 15, 2009

Tem um blog? Cuidado: você pode ser processado.



Você é blogueiro? Gosta de escrever, desenhar e publicar suas ideias na internet e visita outros blogs contribuindo com comentários por essas páginas? Então, tome cuidado: você pode ser processado, censurado e acredite, passar pelo constrangimento de ter o seu comentário editado.

Muito interessante o que vem acontecendo na blogosfera ultimamente. Parece que certas empresas e advogados descobriram um novo filão para engrossar a rede de processos neste inferno judiciário que é o Brasil: processar blogueiros que tem algo a dizer e praticam essa tolice chamada “liberdade de expressão”.

Alguns casos nas últimas semanas deram uma boa amostra de como a situação de blogueiros que insistem nessa tal de liberdade pode se tornar difícil daqui pra frente. Ironicamente, o dono de um blog chamado “Liberdade de Expressão” foi condenado a pagar R$ 16 mil por conta de um comentário feito por um internauta sobre uma freira no Ceará; e até mesmo um blog feito por um casal de noivos que relata os preparativos para o casório foi ameaçado de processo judicial caso não retirasse uma postagem sobre a avaliação dos produtos de uma doceria.

Há muitos outros casos por aí. Basta procurar por “blogs censurados” no São Google.

É um assunto que ainda vai levantar muitos debates e polêmicas. Há quem diga que os blogueiros não podem sair por aí escrevendo sobre tudo e sobre todos. Mas aquele livrinho chato que geralmente fica esquecido no canto de alguma repartição pública chamado “Constituição Brasileira” prevê, em seu 5º artigo:

IV - é livre a manifestação do pensamento, sendo vedado o anonimato;
IX - é livre a expressão da atividade intelectual, artística, científica e de comunicação, independentemente de censura ou licença.


No mesmo artigo 5º da Constituição Brasileira, no dispositivo V, é assegurado o direito de resposta e indenização por dano material, moral ou à imagem; no entanto, a Liberdade de Expressão é garantida e a censura não pode ser imposta:

Art.220 - A manifestação do pensamento, a criação, a expressão e a informação, sob qualquer forma, processo ou veículo, não sofrerão qualquer restrição, observado o disposto nesta Constituição.
§ 2º - é vedada toda e qualquer censura de natureza política, ideológica e artística.

Deixo claro que não sou nenhum advogado ou estudioso profundo das leis, portanto que os amantes da jurisprudência fiquem à vontade para esclarecer ou apontar falhas nesse texto, evidentemente não serão censurados e tampouco seus comentários serão editados, como no incrível caso no blog do jornalista Augusto Nunes, da revista VEJA. A ideia aqui é promover o debate e difundir informação.

Tais episódios demonstram que os blogs incomodam e o acesso à informação fora do controle de certos setores tradicionais e conservadores é uma “novidade” da qual poucos ainda estão acostumados.

E se algo incomoda, o que é feito em um país cuja democracia é recente e anda fragilizada por sucessivos escândalos políticos? Se quiser uma pista, basta verificar o projeto do senador Eduardo Azeredo, que procura “moralizar” e “vigiar” a internet. Imagine só, quem essas pessoas pensam que são ao publicar textos e charges à vontade por aí? Ora, bolas!

Uma pena que a inclusão digital no Brasil ainda não seja tratada com a seriedade necessária para que se torne também inclusão social e cidadã. Se essa galerinha que lota as lan houses espalhadas pelos quatro cantos do país descobrisse toda a potencialidade das mídias sociais, “muita gente” estaria em sérios apuros.

E é por conta disso que tentativas de censura e intimidações vêm se tornando comuns aos blogueiros - sim, tem muita porcaria e irresponsabilidade na blogosfera, mas também tem muito conteúdo excelente. Vale a pena dar uma olhadinha no projeto sobre o “Marco Civil da Internet” e acompanhar, pois é um projeto muito diferente daquilo que propõe o senador Azeredo.

Em tempos politicamente corretos e repletos de “não me toques” e onde tudo é “passível de processo” (leia-se “tentativa de levantar um trocadinho” em certos casos), é bom ficar esperto no que vem sendo discutido por aí – até para garantir que censura, realmente, nunca mais! Afinal, ninguém quer ter um post censurado ou sofrer alguma intimidação por emitir opiniões e exercer a autoria. E nem pagar indenizações, ainda mais se você for um pobre blogueiro que só tem uma guitarra velha, uma dúzia de cuecas, umas camisetas e calças de lojas de departamento e uns livrinhos chatos na estante.

Follow me on twitter: www.twitter.com/jaimeguimaraess

segunda-feira, dezembro 07, 2009

A Copa de 2014 já deveria ter começado


(Pra variar, charge de mau gosto de "autoria do autor", como diria o filósofo Gessinger. Clique para visualizar melhor)

O genial Nélson Rodrigues já dizia: “o futebol é passional porque é jogado pelo pobre ser humano”. Reclame quem quiser, mas o fato é que o futebol está incorporado na vida do brasileiro com tanta força que é impossível ficar alheio a certas discussões sobre o esporte bretão – há controvérsias sobre a origem do jogo, mas duvido que os chineses fossem capazes de inventar algo tão estranho como o futebol. Minhas fontes ( que eu não revelo por dinheiro nenhum) dão conta que o futebol surgiu próximo a Roma, no ano de 451, em uma partida amistosa entre os Hunos de Átila x Romanos de Aecius. Os exércitos ficaram sem munição e começaram a chutar cabeças de cristãos capturados até uma meta. Ganhava quem acertasse mais cabeças em um determinado espaço no campo do adversário. Como os romanos tinham mais cristãos disponíveis e já eram os "pais da matéria", venceram a partida e Átila tirou o time de campo. Mas essa é uma longa história.

Mas retornando ao século XXI no Brasil ( qua qua qua) e a questão da paixão do brasileiro pelo futebol, todos sabemos que em 2014 teremos a sensacional Copa do Mundo aqui mesmo, no Brasil. E (quase) todos ficaram encantados com a possibilidade de assistir, pertinho de casa, um grande clássico do futebol mundial como Costa Rica X Bahrein. Mais encantados ainda ficaram os empreiteiros que vão construir/reformar estádios – e em 2016 tem Rio Olímpico, uma beleza. O brasileiro, apaixonado por futebol, festa e feriados, vai “emendar” 2015 logo de uma vez ( em Salvador é provável que o carnaval nem acabe).

Eis aqui o grande problema: todo mundo fala da festa, dos estádios, da alegria, da paixão...mas será que essa paixão toda resistirá aos pitacos daquela velha nojenta e que dá palpites em tudo chamada Dona Organização? E daquele chato (dizem que é amante da Organização) conhecido como Sr. Planejamento?

Talvez você estivesse em um tour por Plutão e Netuno, então te deixarei atualizado: o campeonato brasileiro terminou e o Flamengo, quem poderia imaginar isso, foi campeão! E o mais surpreendente de tudo: Fluminense e Botafogo NÃO foram rebaixados! Isso é realmente incrível. Sobrou pro Coritiba, que vai disputar a segundona no ano que vem.

Do campeão ao rebaixado, dois fatos dão uma boa amostra do que o Brasil ainda terá que fazer para não ficar de mal com Dona Organização e Sr.Planejamento em 2014. Na semana em que a procura de ingressos para o Maracanã foi intensa, houve muita confusão e a polícia agiu pra valer para tentar conter certos ânimos. Cambistas, correria, filas imensas, uma bagunça total; E em Curitiba, ao final da partida que rebaixou o Coritiba ( sai o CU entra o CO, estranho, não?) um quebra-quebra generalizado, a polícia com um efetivo insuficiente ( e sem muito preparo, pelo visto) e não conseguiu conter a fúria de torcedores rebaixados que por pouco não botaram fogo na cidade – e olha que torcem pro Coritiba, e não pro Botafogo.

Esses fatos apenas escancaram o que já se sabia: a Dona Organização é barrada na questão da venda de ingressos nos estádios brasileiros. Aliás, as bilheterias em boa parte deles são ótimas: um buraco na parede que mal passam os bilhetes e os ingressos. Já houve confusão parecida nos Jogos Pan-Americanos do Rio em 2007 e parece que a lição não será aprendida; e em Curitiba o sr. Planejamento não foi convidado à mesa de negociações, pois será que ninguém imaginava que no último jogo do campeonato, valendo a “vida e a morte” dos dois times, a tensão era tão grande que poderia ser necessário talvez reduzir a carga de ingressos e reforçar o efetivo de policiamento? A cidade de São Paulo, por exemplo, já é descolada nessas providências, afinal o Corinthians é de lá e...ops!

A Copa de 2014 não começa em Junho daquele ano, isso se o calendário Maia estiver errado – ei, não fiquem nessa bobagem cinematográfica de blockbusters hollywoodianos (adoro clichês que os críticos de cinema utilizam em suas colunas pseudo intelectuais, e vocês?), procurem saber que barato é a profecia Maia e não deixem de ler sobre a profecia de São Malaquias, são geniais; voltando ao plano real, para a Copa no Brasil ser um sucesso é preciso arrefecer um pouco toda essa paixão ufanista e deixar que Dona Organização e o sr. Planejamento batam uma bolinha no meio de campo. E podem chamar a Sra. Transparência, ela não pode tomar cartão vermelho.

Siga-me no twitter: http://twitter.com/jaimeguimaraess
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...